qual a razão que o traz a Portugal?

Preciso de um visto para entrar no país

VISTOS DE TRABALHO
VISTO DE ESTUDANTE
VISTO D7 RENDIMENTOS OU REFORMA
VISTO D2 PARA EMPREENDEDORES

Já estou em Portugal e quero ficar

MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE ARTº 88
AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA
VISTOS GOLD (A.R. POR INVESTIMENTO)
OUTROS VISTOS

Quero Pedir A Nacionalidade Portuguesa

FILHOS OU RESIDENTES HÁ MAIS DE 6 ANOS
NETOS OU CASADOS COM UM PORTUGUÊS
DESCENDENTE DE JUDEUS SEFARDITAS

Quero Trabalhar Em Portugal

Terá de obter um VISTO num Consulado Português adequado ao tipo de função/emprego que irá desempenhar

TRABALHO SUBORDINADO

Funções Menos Especializadas

Trabalhos diferenciados numa empresa.
Aplica-se à maioria das situações de imigração e está sujeita ao pedido de uma Autorização de Trabalho no IEFP

ALTAMENTE QUALIFICADO

Funções muito qualificadas de nível superior

Profissionais com posições de Direcção, estudos Universitários e funções muito qualificadas, em novas tecnologias ou áreas de interesse para a economia nacional

TRABALHO INDEPENDENTE

profissionais independentes com clientes locais

Se tem clientes em Portugal pode exercer uma atividade independente. Lembre-se que precisa de uma autorização se for uma actividade regulada (veja no final da página)

Restrições à Imigração de Países Não Comunitários

3786
Imigrantes Autorizados Por Ano

o número de entradas permitidas pelo atual regime de quotas é ZERO

Devido à crise económica o regime de vistos para funções de trabalho qualificado foi cancelado.
Todos os vistos atribuídos para estas funções são por razões excepcionais e têm de ser bem fundamentados.

AUTORIZAÇÃO DE TRABALHO (IEFP)

Devido à crise económica de 2010 foi criado um regime de quotas de imigração que limita fortemente a obtenção de um visto para o trabalho subordinado.Cabe ao IEFP (Instituto de Emprego e Formação Profissional) emitir uma autorização de trabalho em linha com as quotas em vigor.

PROVA DE FUNÇÃO ALTAMENTE QUALIFICADA

As quotas não afetam as funções altamente qualificadas mas é necessário que o Estado Português aceite a sua função como tal. Os critérios são subjetivos e terão de ser negociados com o Consulado.È habitual ser pedida uma acreditação da qualificação.

Saiba como negociar o visto para ter um pedido de sucesso

Fundamentar o pedido do visto para garantir a excepcionalidade e a negociação com o Governo português é essencial para o sucesso de um pedido.

As informações recolhidas nos Consulados são muitas vezes pouco fiáveis e podem induzir em erro. Tanto mais que os serviços Consulares são apenas a face visível da imigração. A decisão é tomada em Lisboa pelos Serviços do Ministério dos Negócios Estrangeiros e pelo SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras).

Fazemos centenas de processos por ano e sabemos como fazer essa negociação. Conte-nos o seu caso.

Se fizer o pedido de visto e este for recusado, dificilmente será alterada a decisão

Um visto recusado só será aprovado através de uma intervenção junto do Ministério dos Negócios Estrangeiros em Lisboa e por motivos muito fortes. PREPARE-SE BEM antes de ir ao Consulado

Precisa de um contrato de trabalho antes de pedir o visto

Para obter um visto de trabalho (residência), tem de ter uma promessa de um contrato de trabalho por escrito com uma empresa Portuguesa

Pedir um visto de residência para trabalho só é possível se tiver um contrato de trabalho e se este garantir um rendimento superior ao salário mínimo nacional.

No caso de ter consigo familiares a seu cargo o valor mínimo mensal exigido aumenta em 50% para as esposas e mais 30% por cada filho.

O seu empregador tem de estar activamente envolvido no processo de visto

Não é fácil obter um pedido de visto com sucesso se o seu empregador não for um participante ativo no processo pois existem vários documentos que terão de ser produzidos por ele

A função não é altamente qualificada. precisa de uma autorização de trabalho

O processo de obtenção da autorização de trabalho tem de ser feito pelo empregador e dura cerca de 2 meses

Com o objetivo de proteger o emprego para os trabalhadores nacionais e comunitários, por lei tem de ser aberto pelo IEFP um concurso internacional para a função que o imigrante vem ocupar. O concurso ficará aberto a candidaturas durante 30 dias e no final a empresa empregadora dirá se pretende contratar a sua primeira escolha (o imigrante), ou uma das eventuais candidaturas ao anúncio de emprego aberto pelo IEFP.

O pedido ao IEFP é feito pela empresa Portuguesa que quer empregar o imigrante e o processo dura entre 60 a 80 dias.

A autorização de trabalho emitida pelo IEFP tem de respeitar o regime de quotas de imigração em vigor as quais limitam as contratações de países terceiros à União Europeia.

A Autorização de Trabalho do IEFP É Negativa. Devo Desistir?

Não. Terá de defender a sua candidatura junto do Governo Português pois pode ser considerada relevante para a economia nacional

Uma autorização de trabalho negativa não é o fim do processo mas irá depender da função a que se candidata, o seu nível de habilitações, setor da economia onde irá trabalhar -áreas consideradas estratégicas como as novas tecnologia são normalmente aprovadas, e o nível salarial que irá usufruir – valores mais altos são mais valorizadas na apreciação da candidatura.

 

O visto foi aprovado mas tem só 4 meses de validade

Os vistos de residência/trabalho e mesmo os temporários são emitidos com 4 meses de validade e 2 entradas

Os processos de imigração fazem-se em duas fases:

1- VISTO NO CONSULADO PORTUGUÊS

Para entrar em Portugal tem de pedir um visto temporário (até 1 ano), ou de residência (períodos superiores a 1 ano). Primeiro, pede o visto no Consulado Português do país onde é residente. Os cidadãos de países não pertencentes à Comunidade Europeia têm de pedir um visto para trabalhar em Portugal.A presença física no Consulado durante a entrega do visto é obrigatória.

2- AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA NO SEF

Uma vez em Portugal tem o tempo do visto (normalmente 4 meses) para pedir uma autorização de residência com a duração de 1 ano, renovável por 2 vezes por períodos de 2 anos.Após 6 anos em Portugal a contar da data da primeira autorização de residência pode pedir a nacionalidade Portuguesa

Tenho uma entrevista no SEF para a minha residência

Uma vez aprovado o visto de trabalho, já pode fazer uma marcação para uma entrevista no SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras) onde apresentará o seu pedido para uma autorização de residência.

Lembre-se que terá de ter toda a documentação em ordem para que o seu pedido seja aceite. Existe um processo de triagem pré-entrevista e muitos processos são recusados nesta fase até a documentação estar correta.

Saber mais sobre o pedido de autorização de residência

Posso ir para Portugal e arranjar trabalho depois de chegar?

Não consigo arranjar trabalho sem estar no país. Pode sempre vir e legalizar-se depois de ter trabalho

Aconselhamos vivamente a que tente encontrar um trabalho antes de vir para Portugal. Atualmente existem muitos empregadores que aceitam realizar entrevistas de emprego por Skype ou apps similares.

O visto de trabalho é a forma mais rápida de obter a autorização de residência.

No entanto, se optar por vir diretamente sem emprego e só depois se legalizar, pode fazê-lo através de uma manifestação de interesse artº88.

Não se esqueça que tem de cumprir obrigatoriamente duas condições:

  1. Ter uma promessa/contrato de trabalho
  2. Ter entrado legalmente em território Português ter prova disso

O processo da manifestação de interesse artº 88 é complexo e deve obter mais informações. Saber mais..

Como posso encontrar emprego em Portugal

A New Way Visa não encontra empregos para os imigrantes, mas para o ajudar damos-lhe uma lista de site de emprego em Portugal

A minha família irá precisar de um visto?

A família de um imigrante caso esteja a cargo deste, só precisa de um visto de turismo para entrar em Portugal

O imigrante em situação legal tem o direito de trazer sua família direta e desde que esta esteja economicamente dependente dele.

Para muitos países basta um visto de turista para a família entrar no país. Existem países em que será necessário um visto de reagrupamento familiar.

Uma vez em Portugal, será pedida uma autorização de residência por reagrupamento familiar a qual permite igualmente trabalhar. Saber mais…

Sou cidadão da união europeia preciso de um visto para trabalhar?

Os cidadãos de países membros da União Europeia não precisam de visto de trabalho

Apesar de não ser necessário visto de trabalho é obrigatório o registo após 90 dias em Portugal.

Há profissões que exigem a inscrição numa associação profissional

Caso pretenda exercer estas profissões liberais terá de fazer o pedido de reconhecimento

Médicos, Engenheiros, Arquitetura, Psicólogos, Dentistas… são muitas as profissões com Associações Profissões que só podem ser exercidas, por conta de outrem ou como profissional independente, após o reconhecimento de habilitações por estas Associações.

Este processo exige um reconhecimento prévio do diploma de habilitações por uma Universidade Portuguesa, tornando-se num processo moroso e complexo.

outros vistos especiais

Existem um conjunto de situações que dão origem a vistos especiais

  • Visto de turismo e negócios – emitido por 90 dias e não permite efetuar trabalho significativo.
  • Vistos para o exercício de actividades de investigação científica em Centros de Investigação ou actividades como docente em Universidades
  • Visto para o exercício de actividades desportivas
  • Visto para tratamento médico
  • Visto para acompanhamento de familiar sujeito a tratamento médico
  • Visto de estudante para frequentar cursos Universitários ou profissionalizantes, bem como, formação profissional
  • Visto para religiosos
  • Visto para reagrupamento familiar

um visto recusado não pode ser alterado

Atualmente, são recusados muitos vistos e por isso pense duas vezes antes de submeter o seu pedido. Considere pedir ajuda pois pode só ter uma oportunidade de sucesso

Sim, desde que obtenha um visto com a finalidade de trabalhar como profissional por conta de outrem ou independente.

Depende do tipo de acordo que o seu país tem com o estado Português. Caso não seja preciso pedir um visto e ele seja obtido automaticamente à chegada ao nosso país, então a sua família não precisará de visto.

É uma área cinzenta cuja a apreciação final depende sempre das autoridades Portuguesas. No entanto, o nível de senioridade na empresa (Diretores e administradores), funções altamente técnicas que exigem formação superior especializada (normalmente de nível universitário) como é o caso das novas tecnologias, são normalmente consideradas altamente qualificadas.

Existe uma lista de profissões publicada pelo Governo.

Todos os maiores de 16 anos (idade legal) poderão trabalhar após obterem a autorização de residência por motivo de agrupamento familiar.

O visto de residência é válido para 2 entradas e por 4 meses, período durante o qual o respectivo titular deverá solicitar um título para fixação de residência.

Não carecem de visto para obtenção de autorização de residência os estrangeiros que se encontrem nas seguintes situações:

  • Menores, filhos de cidadãos estrangeiros, nascidos em território português, que beneficiam de estatuto de residente idêntico ao concedido a qualquer dos seus progenitores (para efeitos de emissão do título de residência, deve qualquer dos progenitores apresentar o respectivo pedido nos 6 meses seguintes ao registo de nascimento do menor);
  • Familiares de cidadãos nacionaise de cidadãos nacionais de Estados Partes no Acordo sobre o Espaço Económico Europeu;
  • Aqueles que tenham deixado de beneficiar do direito de asiloem Portugal, em virtude de terem cessado as razões com base nas quais obtiveram a referida protecção;
  • Aqueles que sofram de uma doençaque requeira assistência médica prolongada que obste ao retorno ao país, a fim de evitar risco para a saúde do próprio;
  • Menores, quando se encontrem numa das situações abrangidas pelo disposto no nº1 do artigo 1921º do Código Civil;
  • Aqueles que tenham cumprido serviço militar efectivonas Forças Armadas Portuguesas;
  • Aqueles cuja actividade no domíniocientífico, cultural, económico ou socialseja considerada de interesse fundamental para o País;
  • As que vivam em união de facto com cidadão português, com cidadão nacional de Estados Partes no Acordo sobre o Espaço Económico Europeu ou com estrangeiro residente nos termos da lei (só são consideradas as uniões de facto com cidadãos residentes quando estes possuam essa qualidade há pelo menos dois anos e quando o membro da família se encontre regularmente em território nacional);
  • Aqueles que não se tenham ausentado de território nacional e cujo direito de residência tenha caducado;
  • Os que tenham filhos menores residentes em Portugalou com nacionalidade portuguesa sobre os quais exerçam efectivamente o poder paternal e a quem assegurem o sustento e a educação;
  • Os que tenham sidotitulares de vistos de trabalho durante um período ininterrupto de três anos;
  • Os que tenham sidotitulares de autorização de permanênciadurante um período ininterrupto de cinco anos;
  • Agentes diplomáticos e consularese respectivos cônjuges, ascendentes e descendentes a cargo, acreditados em Portugal durante um período não inferior a 3 anos.

Nos casos em que pode pedir a concessão da autorização de residência com dispensa de visto respectivo, os documentos exigidos variam em função da situação particular em que se encontre e que lhe permite ter direito a essa dispensa.

Os vistos uniformes Schengen permitem aos cidadãos nacionais de países terceiros que precisam de visto entrarem ou transitarem nos países que integram o Espaço Schengen.

Estes vistos são designados por uniformes, pois a respectiva regulamentação é comum a todos os países membros da Convenção de Aplicação do Acordo Schengen.

Destinam-se a estadas de curta duração até 90 dias e são nomeadamente concedidos para turismo.

Os vistos de longa duração, regulados nos termos da legislação nacional em vigor, podem ser de estada temporária ou de residência,consoante a duração da estada e habilitam o seu titular a permanecer em Portugal para o motivo pretendido:

  • estudo,
  • estágio,
  • trabalho,
  • tratamento médico, entre outros.

O visto de estada temporária é válido, em regra, por 4 meses e para múltiplas entradas.

Sim. A presença no momento do pedido do visto é obrigatória. Existem apenas uns poucos Consulados que por razões geográficas (cobrem áreas muito grandes) permitem o tratamento do visto por correio.

Os estrangeiros membros da família de portugueses beneficiam de regime idêntico ao concedido aos familiares de outros cidadãos da União Europeia, regime previsto no Decreto-Lei nº 60/93, de 3 de Março, com as alterações introduzidas pelo Decreto-Lei nº 250/98, de 11 de Agosto (esta legislação está disponível para consulta em www.acime.gov.pt).

Não precisam de visto e será emitido um cartão de residência depois de chegarem a Portugal, de harmonia com o disposto no Decreto-Lei já referido.